DepoimentosOutros

Sobre medo, liberdade e meu agradecimento a vocês

Ufa, quanto tempo sem aparecer por aqui! Escolhi fazer um intervalo no fim do ano passado para me dedicar a outro trabalho, daí acabou surgindo um desânimo na hora de voltar, sabem como é? E, com o programa de coaching em ação e algumas outras coisas surgindo, o tempo passou sem que eu nem percebesse. Tenho muita dificuldade de manter uma constância aqui no blog, porque a vontade de escrever varia muito com meu ânimo e meu estado de espírito, principalmente por falar de vários temas que significam muito pra mim. Além disso, meu foco de interesse muda num piscar de olhos e, quando menos espero, meu tempo e atenção já estão voltados para outra coisa completamente diferente! Nem me perguntem como isso funciona, porque eu mesma não sei…

pencilsE não quero dizer que não acho importante ou não gosto do trabalho aqui no site, claro. O que não gosto mesmo é de vir aqui e escrever só por obrigação, sem sentir que realmente quero comunicar algo, e acho que postar um texto sem vontade nunca vai me deixar tão satisfeita quanto contar a vocês algo que faz sentido e é importante pra mim. Então, não vejo esse intervalo com maus olhos, mas como algo necessário, sim! Mas ainda não voltei hoje com um texto de minha autoria, eu vim mostrar algo escrito por outra pessoa, que foi importantíssimo no momento em que chegou e que me encheu de alegria. Vou explicar.

A verdade é que, apesar de respeitar o meu tempo e a forma com que gosto de fazer as coisas, não posso negar que o desânimo que contei lá em cima e a ausência por aqui também foram reflexos de um pouco de insegurança. Passei um período de muitos questionamentos sobre o trabalho, se eu tinha feito e se estava fazendo as melhores escolhas, e se era realmente capaz de realizar tudo que estava propondo a mim mesma. Isso não é nenhuma novidade, né… Todas sabemos que os medos e essas questões aparecem e também como podem nos deixar paralisadas diante do medo e da dúvida. Justamente no momento em que eu mais precisava, recebi este depoimento da Marcela, uma cliente (e agora amiga!) que fez todo o programa de coaching comigo. Deixo aqui o texto que ela me enviou e que, muito gentilmente, permitiu que eu compartilhasse com vocês:

“Uau, foi uma jornada! É assim que eu me sinto e nem estou falando do coaching em si. Estou falando de toda uma vida tendo uma relação conflituosa com a comida e com o meu corpo e o Programa foi o último capítulo dessa história. Agora começa uma outra, nova, que já dá sinais de que vai ser bem diferente. Foram anos, muitos anos, de sofrimento e relendo as coisas que eu escrevi lá no começo, percebo o quanto aquilo tudo estava me machucando e, de diversas formas, me destruindo. Era um mundo todo de rejeição, me sentindo errada, insuficiente. Horas e mais horas na frente de um espelho me ofendendo como eu jamais teria coragem de ofender outra pessoa. Refeição após refeição sentindo culpa, medo, ansiedade, e usando a comida como uma muleta. Foi uma jornada difícil, dolorida e que felizmente, e finalmente, acabou. Acabou porque um dia eu deixei um comentário no seu blog e você enxergou, naquelas palavras, o meu sofrimento. Escrever pra você foi, sem eu sequer perceber, um pedido de ajuda. E eu precisava muito de uma saída, de alguma orientação, de compreensão, de consciência.

Li os textos que te escrevi nesses meses todos e nossa, como me sinto diferente! Ainda não resolvi completamente essas questões, não virei um símbolo da autoestima, e ainda tenho trabalho pela frente, mas mesmo assim. Estou tranquila! A comida não é mais um grande problema, não existe mais outra vida coexistindo com a minha e eu finalmente posso direcionar energia para outros aspectos do que eu sou ou quero ser. Estou me aceitando, e você sabe, isso é gigantesco. Claro que ainda tem momentos em que eu olho no espelho e penso “ahn, ahn, não tá legal”, mas o impulso em seguida é diferente. Eu não me xingo, não me ofendo, não me coloco pra baixo. Eu me olho com amor, respeito as minhas limitações e dificuldades e penso em colocar em prática as coisas que eu posso fazer pra melhorar. Caramba, como é lindo ter consciência das coisas! É legal demais encarar um problema de frente e depois perceber que ele ficou pequeno e controlado perto da consciência que você criou dele… Devo muito a você, Ariela! Eu sei que eu estava disposta pro processo, mas sem você, sua experiência pessoal, seus exercícios, suas técnicas, suas frases que me tiraram do transe (e me deram um rumo!)… nada disso teria sido possível! Estou aqui emocionada e muito, muito grata. Chorei com o seu primeiro e-mail e estou chorando agora, com esse último relatório. Da primeira vez, porque não acreditava na minha sorte e porque achava que finalmente emagreceria. E agora pelo processo incrível, pelas mudanças tão profundas e por ter entendido que eu não preciso emagrecer pra estar bem e feliz. Não aconteceu o que eu queria, mas aconteceu exatamente o que eu precisava.

Cada sessão, cada exercício, cada frase, cada entendimento foi importante pra que eu chegasse nesse ponto em que estou agora. Engraçado porque as mudanças continuam parecendo mágica, porque o processo transformou os meus padrões inconscientes de uma forma muito profunda. Perdi o medo da comida, não me sinto culpada, deixei de lado o “certo e o errado” na alimentação, estou consciente e tranquila pra fazer escolhas melhores, me aceito mais, estou buscando conforto emocional em mim mesma e não na comida, e saí do constante ciclo “começa-dieta-desiste-da-dieta-sente-culpa-volta-pra-dieta”. Não está perfeito, mas está, acima de tudo, pacífico! Estou mais preocupada com a saúde e o bem-estar e menos com a estética e sigo esperando pelo dia em que o mundo vai explodir porque eu saí de saia. Ainda não aconteceu e estou quase convencida de que não vai!

Do lado prático, não tenho nada negativo pra dizer sobre o Programa… os exercícios foram provocativos e reflexivos na medida, as sessões foram esclarecedoras, o método é excelente e eu adorei viver pela primeira vez um processo de Coaching, com começo, meio, fim e etapas. Você foi aberta, sincera, presente e disponível. E principalmente, se colocou vulnerável e usou suas experiências pessoais para entender e explicar. Isso foi fundamental! Me senti acolhida e desafiada ao mesmo tempo.

Duas coisas que você me disse foram fundamentais no processo e vou carregar comigo pra sempre! A primeira, tão simples, acabou com anos e anos de vitimização, em que eu me sentia injustiçada por ter problemas com peso e o corpo. Eu disse “a vida seria muito mais fácil se eu fosse magra, como é pra várias mulheres” e você sabiamente respondeu “seria sim, assim como ela é mais fácil porque você é branca, assim como é mais fácil porque você é heterossexual, assim como seria mais fácil se você fosse homem”. Foi muito importante rever os meus privilégios e entender que tenho muita sorte sim, por vários motivos, e que no quesito corpo eu simplesmente tenho um desafio maior. Não é injusto, eu não sou vítima e esses dois sentimentos foram embora. Continuo achando que seria mais fácil ser magra, mas sem me sentir mal com isso.

A outra foi sobre sair de saia ou shorts. Você questionou porque eu não fazia isso e depois de refletir muito, a única motivação que consegui encontrar foi o medo da rejeição e da reação dos outros. Nenhum motivo que fosse realmente meu. E aí você questionou se valia a pena me desagradar constantemente pra supostamente agradar aos outros. Que outros? Eles realmente se importam? O que eles pensam realmente me importa? E claro, conclui que não e gostaria de reportar que estamos há 147 dias usando saia e vestido, sem acidentes e explosões do mundo! Hahaha Tão simples, mas tão incrível!

Falei em um dos relatórios que tudo seria mais fácil se eu emagrecesse, porque eu tiraria energia disso e aplicaria em outras áreas da vida. Eu estaria fora da zona de guerra e finalmente estaria feliz, livre, fresca e sendo eu mesma. Ainda não estou totalmente nesse ponto, ainda gostaria de perder alguns quilos, ainda tenho trabalho pela frente, mas me sinto muito melhor. Não estou perdida e sem esperança como estava lá quando nos conhecemos. Estou mais tranquila, mais segura, empoderada e consciente das escolhas que faço, das mudanças que ainda posso fazer pra conquistar um corpo mais saudável e mais próximo da estética que eu gostaria. Não fico mais ilusoriamente torcendo pra acordar magra um dia ou passar por qualquer coisa ruim que me faça emagrecer como consequência. Sei que qualquer mudança que venha vai ter que ser gradual, consciente, saudável e intimamente relacionada com o meu psicológico. Estou feliz! Mesmo! Coincide com várias novidades em outras áreas da vida, mas isso certamente tem relação com o resultado do programa. Foi uma experiência fantástica que me curou de uma doença que estava aí me afetando há mais de vinte anos. Obrigada! Muito obrigada mesmo por ter me dado essa oportunidade e por ter sido tão fundamental nesse processo. Eu precisava muito disso e nem sabia! Parabéns pelo seu trabalho lindo e muito sucesso pra você e pro seu Programa. Eu espero que muitas outras mulheres vivam essa transformação que eu vivi e estou vivendo. E que a gente um dia encontre mais mulheres se amando, se respeitando, sendo aceitas pelo que são!

Com carinho e gratidão,

Marcela”

Antes de tudo: obrigada mais uma vez, Marcela! Você conseguiu transformar em palavras a experiência do coaching de uma maneira que eu jamais conseguiria, contou pra mim que juntas fizemos coisas de que eu nem sabia que seria capaz, e sua companhia e dedicação foram essenciais para o meu aprendizado neste processo.

São relatos como esse e outros que recebi – e que, em breve, também vou divulgar aqui! -, além de lindos comentários, aqui no blog e pessoalmente, que me fazem crer que estou, sim, no caminho certo. Vou dizer algo que certamente todas as minhas clientes já ouviram, e que vou repetir sempre: o meu trabalho não é sobre alimentação, não é sobre questões com o corpo ou aparência, e não é nem mesmo sobre autoestima ou amor próprio. Claro que tudo isso faz parte do processo e é extremamente importante, mas falar só disso resultaria em uma definição limitada, porque, em última análise, o meu trabalho é sobre liberdade.
122412248_1810df05c7_zSobre mulheres saindo da prisão horrível que é não se sentir boa o suficiente e se tornando livres para ser quem quiserem. Liberdade pra experimentar, pra errar, recomeçar, mudar e, até mesmo, pra fazer exatamente o que já estava fazendo antes, mas com consciência. Por escolha, não por imposição. Isso, sim, é o que me move e que representa algo a que eu quero me dedicar. E é maravilhoso saber que também eu tenho a liberdade de fazer esse trabalho da maneira que for melhor e que fizer mais sentido para mim, porque é assim que tem que ser. Entender que os erros, as inseguranças e as mudanças de percurso fazem parte do trabalho tornam tudo muito mais leve e flexível, e, consequentemente, muito mais saudável. Essa é a sensação que eu busco em cada coisa que faço!
icecream2Obrigada pelos lindos retornos e pela presença, mesmo que silenciosa, de vocês que me acompanham! Espero continuar neste caminho, fazendo o que acredito e, quando fizer sentido, também vindo aqui contar coisas legais. Espero que compreendam e que continuem por aqui, porque… eu até gosto de falar sozinha, vai, mas é bem melhor quando tem alguém ouvindo. <3